Minha foto
Brotas, SP, Brazil
Sendo uma fazenda estruturada para bem receber, com todo estilo da vida rural, o Areia que Canta oferece diversas atividades de lazer, a culinária da fazenda, passeios deliciosos, uma ampla estrutura para eventos e a experiência inesquecível de estar em meio à Natureza. Para aqueles que apreciam a culinaria de fazenda: todo sábado, o pessoal do restaurante ensina uma nova receita, com direito a degustação! Faça-nos um visita, será um prazer recebe-los aqui!

Entre e fique a vontade!

O blog é um canal de informação para aqueles interessados no Areia que Canta, na Fazenda Tamanduá, em sua região, na qualidade de vida, em bem estar, e enriquecer sua viagem pela região de Brotas - SP!

domingo

plantas medicinais: bálsamo, barbatimão, bardana, beldroega, boldo, borragem, caapeba, cacau, caju, cajuzinho, calamo, calêndula, camomila, cana de açúcar, cânfora, capuchinha, cardo santo, carqueja, cáscara sagrada, castanha da Índia, catinga de mulata, cavalinha

Bálsamo (Planta tropical):
Uso ao natural, sob a forma de saladas, sem tempero (inflamações gástricas), apresenta uma ação protetora contra úlcera, erisipela.
Usado também para combater afecções do aparelho respiratório e urinário.
O óleo é usado ainda contra diabetes, bronquite crônica, queimaduras, frieiras.
DOSAGEM:
Sumo:
Aplicar sobre a pele inflamada.

Suco:
10 folhas batidas no liquidificador com 1 ½ de água. Tomar ½ copo antes do café da manhã.


Barbatimão (Planta brasileira):

As cascas de barbatimão têm grande poder adstringente.
Externamente, reduzidas em pó, empregam-se no tratamento de úlceras e, em banhos e injeções, atuam contra a leucorréia, catarro uretrais e vaginais.
Internamente utiliza-se seu decoto nas afecções escorbúticas, na blenorragia, na diarréia, na hemorragia, nas hemoptises e também na leucorréia.
DOSAGEM:
Pele oleosa:
Coloque 1 colher (sobremesa) de casca picada em 1 xícara (chá) de água. Ferva por 5 minutos. Espere esfriar, coe e acrescente o suco de meio limão e 1 colher (chá) de mel. À noite, aplique na pele do rosto, com um chumaço de algodão,deixando agir por 20 minutos. Após lave com água morna.

Hemorragias uterinas:
Coloque 1 xícara ( chá ) de casca picada, 1 xícara (chá) da raiz de algodoeiro e 1 xícara (chá ) de quiabo ainda não maduro, em 1 litro de água. Ferva durante 15 minutos e coe em tecido fino. Faça 1 ou 2 lavagens ao dia com esse líquido. Não obtendo melhora procure orientação médica.

Inflamação da garganta, corrimento vaginal, diarréias, hemorragias:
Coloque 2 colheres (sopa) de casca picada em 1 xícara (chá) de álcool de cereais a 50%. Deixe em maceração por 3 dias e coe em tecido fino. Tome 1 colher (café), diluído em um pouco de água, de 2 a 3 vezes ao dia.

Feridas ulceradas:
Coloque 1 colher (sopa) de casca picada e 2 folhas fatiadas de confrei em 1/2 litro de água em fervura. Desligue o fogo, espere esfriar e coe. Aplique na ferida, com um chumaço de algodão, 2x ao dia.

Corrimento vaginal:
Coloque 2 colheres (sopa) de casca picada em 1/2 litro de água fervente. Espere amornar, coe e acrescente 1 colher (sopa) de vinagre branco ou suco de limão. Faça banhos locais, de 1 a 3x ao dia, até que o sintoma desapareça.


Bardana (Planta sul americana):
As raízes e as folhas tenras podem ser utilizadas como alimento, podendo a raiz também ser consumida crua.
No Brasil tem um crescimento vigoroso, sendo considerada uma espécie daninha em pomares e terrenos baldios no sul do Brasil.
Utilizada em mistura com outras ervas, para clarear a pele, a bardana tem aplicações como depurativo e cicatrizante.
O decoto de suas raízes é eficaz, como purificador do sangue, em doenças reumáticas, afecções reumáticas, afecções renais e distúrbios digestivos.
Externamente, prepara-se com elas uma pomada para eczema e uma loção para evitar a queda de cabelo.
Uma cataplasma das folhas frescas alivia as dores provocadas por picadas de insetos, torções e hemorróidas, e a sua infusão serve para limpar feridas e inflamações cutâneas.
O extrato das sementes e também suas infusões ou decocções são especialmente indicados para a cura de enfermidades crônicas da pele.
As folhas esmagadas e aplicadas diretamente sobre a epiderme têm uma ação bactericida e antimicótica que a torna um remédio eficaz contra inúmeras doenças de pele, como dermatoses úmidas e purulentas, acnes, eczemas, pruridos, tinha, seborréia da face ou do couro cabeludo e herpes simples.
O óleo de bardana é considerado um estimulante capilar.
Empregam-se as sementes para aliviar os males do "ar e do calor".
DOSAGEM:
Artrite (cataplasma).
Contra as dores agudas das articulações atingidas pela artrite, obtém-se alívio através das cataplasmas feito com folhas frescas, esmagadas, aplicadas sobre a região afetada com uma gaze.

Depurativo (furunculose), diurético (eliminador de ácido úrico), colerético (aumenta o fluxo biliar), laxativo.
Coloque 1 colher (sopa) de raiz fatiada em 1 xícara (chá) de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Mantenha em maceração por 10 minutos e coe. Coma a raiz cozida e tome 1 xícara (chá) 3 vezes ao dia, fora das principais refeições.

Depurativo 2 (infusão).
Em um recipiente misturar as seguintes ervas previamente picadas:
60g de raiz de bardana
25g de raiz de alcaçuz
50 g de dente de leão
40g de gramínea (Agropyrum repens)
20g de chicória
Verter uma colher desta mistura em uma xícara de água fervente. Beber pela manhã em jejum sem adoçar.

Dermatoses úmidas e purulentas, acne, eczema, pruridos, seborréia da face ou do couro cabeludo.
Coloque 2 colheres (sopa) de folhas frescas fatiadas em 1 xícara (chá) de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Coe e acrescente 1 colher (chá) de mel e 3 gotas de própolis. Faça aplicações no local afetado, na forma de compressas, 2 vezes ao dia.

Furunculose.
Coloque 6 colheres (sopa) de raiz fatiada em 1 garrafa de vinho branco. Deixe em maceração por 8 dias e coe. Tome 1 cálice antes das principais refeições.
Juntamente com a cura depurativa, pode-se seguir uma cura externa. Em uma xícara de água ferver uma colherada de raiz de bardana triturada. Quando a água tiver evaporada, estender o cataplasma sobre a região afetada. Obtém-se alívio imediato à dor e desaparece também a inflamação.

Depurativo, diurético, antidiabética.
Coloque 2 colheres (sopa) de raiz picada em 1 xícara (chá) de álcool de cereais a 70%. Deixe em maceração por 10 dias e coe. Tome de 10 a 15 gotas ou 1 colher (café), diluído em um pouco de água, de 2 a 3 vezes ao dia, antes das principais refeições.

Diurético 2 (infusão).
Colocar em três xícaras de água fervente, 30g de raízes de bardana, deixando em infusão por 30 minutos. Coar o líquido e bebê-lo em duas vezes durante o dia.

Insuficiências hepáticas (vesícula inflamada, cálculo biliar, hepatite viral e cirrose).
Coloque 1 colher (sobremesa) de raiz fatiada e 1 colher (sobremesa) de folha de alcachofra fatiada em 1 xícara (chá) de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos, espere amornar e coe. Tome 1 xícara (chá), 3 vezes ao dia, sendo uma de manhã, em jejum, e as demais meia hora antes das principais refeições.

Úlceras e chagas
Cataplasma 1.
Aplicar sobre o local afetado uma cataplasma feito com uma folha fresca de bardana esmagada, depois de lavada e enxuta.
Cataplasma 2:
As folhas depois de picadas e passadas na clara de ovo servem como um cataplasma que acelera a cura e cicatrização.

Queda de cabelos.
Contra a queda dos cabelos é muito eficaz a decocção obtida com 10g de raiz de bardana cortada em pedaços bem pequenos, cozidas em pouca água. Quando a raiz estiver suficientemente amolecida, deve ser esmagada para ser reduzida a uma papinha, com a qual se fricciona o couro cabeludo 1 vez ao dia.

Hemorróidas (cataplasma).
Cozinhar em uma panelinha um punhado de folhas frescas lavadas e enxutas, com pouco de leite. Quando o leite estiver totalmente evaporado, colocar as folhas cozidas em uma gaze limpa e aplicar o cataplasma sobre a região afetada.

USO CULINÁRIO
Os talos das flores devem se colhidos antes que as flores se abram, e comidos refogados ou crus temperados com vinagre e óleo. Pode também ser utilizada refogando-se folhas e brotos tenros com espinafre.
Apenas lembre que estes talos são laxativos.
As raízes são altamente nutritivas e estimulantes do sistema nervoso.

Molho de bardana
1/2 copo de raiz de bardana finamente picada
1 copo de vinagre de maçã
1/2 copo de iogurte
Deixe as raízes de bardana no vinagre por cerca de 5 minutos. Processe então e adicione o iogurte. Sirva com batatas ou legumes.


Beldroega (Planta oriental):

A Beldroega é considerada uma planta refrescante e tem valiosos minerais, vitaminas e grande quantidade de ácido salicílico.
Em infusões é tônica e depurativa do sangue.
É empregada internamente contra disenteria (principalmente infantil), enterite aguda, mastite e hemorróidas.
As folhas são utilizadas contra cistite, hemoptise, cólicas renais, queimaduras e úlceras. Têm propriedades diuréticas e refrescantes. Aplicadas sobre as feridas favorecem a cicatrização e, em decocções, combatem as inflamações dos olhos. Colocando-se folhas de beldroega debaixo da língua ajuda a acalmar a sede. Também podem ser aplicadas como compressas para acalmar hematomas e inflamações nos olhos.
As sementes são vermífugas poderosas e excelentes emenagogas.
O suco é particularmente efetivo, internamente ou externamente no tratamento de doenças de pele. Usado contra diabetes, para problemas digestivos e como emoliente e, externamente, como ungüento para problemas musculares.
Seu extrato aquoso funciona também como relaxante para a musculatura.
DOSAGEM
Diurético (infusão)
Colocar, em uma xícara de água fervente, uma pitada de folhas de beldroega. Passado 15 minutos, filtrar e adoçar o líquido, bebendo-o em duas vezes.

USO CULINÁRIO
As folhas jovens têm um sabor refrescante e podem ser consumidas em saladas ou cozidas ao vapor. As mais velhas podem ser usadas para enriquecer sopas e ensopados.
Sanduíches feitos com fatias finas de pão preto, queijo cremoso e folhas de beldroega são uma excelente indicação para uma refeição leve e saudável.
Adicionar folhas de beldroega no espinafre refogado lhe confere um sabor extra.
Os talos podem ser consumidos picados para saladas no inverno.
A beldroega é ingrediente importante em uma sopa tradicional francesa Bonne Femme.
Salada refrescante de verão
1 alface grande
1 maço pequeno de folhas de beterraba
8 folhas jovens de borragem
3 folhas jovens de tília
4 folhas picadas de melissa
Um maço caprichado de folhas de beldroega
1 pepino finamente picado
Molho de vinagrete
Lave bem e seque todos os ingredientes, rasgue as folhas se necessário. Misture tudo e adicione o molho de vinagrete.


Boldo-baiano (Planta africana):

Somente as folhas são utilizadas para a supressão de gases intestinais, insuficiência hepática e inflamação da vesícula.
As folhas também são usadas em infusão como analgésico, sedativo e estimulante do apetite, porém principalmente empregadas nos casos de distúrbios do fígado e do estômago. Também é indicado para colecistite e diarréia alimentar.
DOSAGEM
Gases intestinais, colesterol com taxa alta, insuficiência hepática, colescistite aguda (inflamação da vesícula)
Em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (sopa) de folhas picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara (chá) de manhã em jejum, e outra, 30 minutos antes das principais refeições.

Colescistite, diarréia alimentar
Coloque 1 colher (sopa) folhas picadas em 1 xícara (chá) de água em fervura. Deixe ferver por 3 minutos, espere esfriar e coe. Tome 1 xícara (chá) quando sentir a dor. No caso da diarréia tome a mesma dosagem logo após a evacuação.

Colescistite aguda, insuficiência hepática, gases intestinais, fluidificante do suco biliar, hepatoprotetor, cálculos biliares, colesterol com taxa alta, inapetência
Coloque 3 colheres (sopa) de folhas fatiadas em uma garrafa de vinho branco seco. Deixe em maceração por 5 dias, agitando de vez em quando e coe. Tome 1 cálice 30 minutos antes das principais refeições.


Boldo – de - jardim (Planta indiana):

O boldo nacional pode ser usado contra azia, dispepsias, mal-estar-gástrico, no controle da gastrite, na ressaca e como amargo estimulante da digestão e do apetite.
Tem efeito hipossecretor gástrico, ou seja, diminui o volume do suco gástrico e sua acidez.
DOSAGEM
Afecções hepáticas (hepatite, cólicas, congestões,etc.), dispepsias ,flatulência, obstipação, afecções gástricas, inapetência, cálculos biliares, debilidade orgânica
Infusão: o chá é feito por infusão de 1 a 3 folhas por xícara grande de água fervente. Tomar de 1 a 3 xícaras de chá ao dia.

Insônia
Decocção: chá por decocção, sob a forma de banhos, age como tranqüilizante e proporciona sono reparador.


Boldo - do - Chile:

Tônico e excitante, medicamento especialmente indicado para afecções do fígado e do estômago.
Atua contra: hepatite, litíase biliar, cólicas hepáticas e congestões do fígado, flatulência , dispepsia, dores de estômago, distúrbios gástricos e digestivos, inapetência, fraqueza orgânica, tonturas e insônia, prisão de ventre e cólicas intestinais, reumatismo e gonorréia.
Combate a má digestão, fortifica o estômago e os nervos.
Combate a insônia, limpa as manchas da pele, especialmente as do rosto causadas por distúrbios do fígado.
Usa-se o cozimento do boldo externamente para banhos e pedilúvios no combate ao reumatismo, à hidropisia, afecções da pele, sífilis, blenorragia e a outras enfermidades semelhantes.
O boldo promove o aumento da produção e fluxo de bílis e regula a atividade da vesícula biliar.
DOSAGEM
Colecistites, eliminador de cálculo biliar (ácido úrico e oxalato de cálcio)
Em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (sobremesa) de folhas picadas e adicione água fervente. Abafe por 20 minutos e coe. Tome 3 xícaras (chá) ao dia, sendo uma em jejum, e as demais 30 minutos antes das principais refeições.

Afecções gástricas, afecções hepáticas, afecções renais, inapetência
Coloque 3 colheres (sopa) de folhas picadas em 1 garrafa de vinho branco. Deixe em maceração por 5 dias, agitando o líquido de vez em quando. Coe. Tome 1 cálice antes das principais refeições.

Insuficiência hepática, colecistites, cálculo biliar (ácido úrico ou oxalato de cálcio), inapetência
Coloque 2 colheres (sopa) de folhas picadas em 1 xícara (chá) de álcool de cereais a 70%. Deixe em maceração por 5 dias, mexendo de vez em quando. Coe. Tome 1 colher (café), diluído em um pouco de água, antes das principais refeições. Antes da utilização, colocar as doses diárias ao sol, para evaporar o álcool nelas contido.

Colecistites, cálculos biliares
Decocção:
Ferver 15g de folhas de boldo em 1 litro de água, por dois minutos. Coar, adoçar e beber duas xícaras (chá) por dia.
Vinho medicinal:
Macerar por três dias, 30g de folhas de boldo em um litro de marcela. Filtrar o líquido , colocá-lo em uma garrafa e consumir um cálice ao fim de cada refeição.


Borragem (Planta mediterrânea):

Considerada antiinflamatória, emoliente, depurativa, sudorífera, diurética e laxativa.
Suas flores são empregadas na forma de infusões como expectorante e contra certas afecções do fígado e coração. Indicada contra tosse, reumatismo.
Estimula as supra-renais, favorecendo a produção de adrenalina, o hormônio que prepara o corpo para situações de tensão.
As folhas carnosas e ásperas empregam-se como tônico da supra-renal, no caso de stress, ou seqüelas de terapia com esteróides. Também, são empregadas em saladas e para pessoas que precisam de uma dieta sem sal.
O óleo extraído das sementes pode ser empregado como alternativa ao óleo de prímula, para transtornos menstruais e reumáticos.
Para aumentar a sudorese, empregam-se as flores, e as folhas para uma ação diurética.
Uma folha fresca abaixará a temperatura da boca, desta forma é útil em febres.
Cultivada em hortas, esta erva é muito apreciada pois suas folhas

Pode ser usada externamente como compressa em pele irritada ou inflamada.
DOSAGEM
Depurativo
Em 1 litro de água fervente colocar em infusão 20g de cada uma das seguintes ervas: borragem, agrião, dente-de-leão, fumaria, chicória-silvestre, cerefólio. Coar, adoçar e beber o líquido na dose de 3 a 4 cálices ao dia, a começar pela manhã em jejum.

Vinho depurativo
Colocar um punhado de sumidades floridas frescas de borragem em 1 litro de vinho de boa qualidade, deixar macerar por cerca de uma semana, coar e consumir em cálices antes das refeições.

Gota, furúnculo
Cozinhar um punhado de folhas secas de borragem em pouquíssima água. Quando esta tiver evaporado, estender as folhas sobre uma gaze, espremê-la para fazer sair todo o líquido, e aplicar a cataplasma bem quente sobre a parte dolorida.

Reumatismo
Em 1 litro de água, ferver por meia hora 10 g de folhas secas de borragem, filtrar, adoçar com mel e beber 3 a 4 xícaras ao dia.

Tosse
Decocção: 40g de folhas em 1 litro de água, ferver por um quarto de hora, coar, adoçar e beber em 2 ou 3 vezes durante o dia.
Infusão: 15g de folhas e flores de borragem em 1 litro de água. Deixar macerar por três quartos de hora. Filtrar, adoçar com mel e beber o líquido em xícaras, na dose de 1 xícara a cada 2 ou 3 horas. Esta infusão é emoliente e refrescante e é benéfica nas tosses secas e persistentes.


Caapeba (Planta do sudeste brasileiro)

Com suas propriedades emolientes e desobstruentes, as folhas da caapeba promovem a cura de moléstias das vias urinárias, do escorbuto, escrofulose, resfriados, leucorréias, úlceras, sífilis e doenças gástricas.
As cascas em decocções atuam contra as afecções das vias respiratórias.
Em uso externo, as sementes agem beneficamente nas pleurisias, servindo ainda como maturativas nos tumores e furúnculos.
As raízes funcionam como febrífugas, sudoríferas, diuréticas e estomáquica, combatendo as doenças do fígado, vesícula e do baço.
No seu extrato encontrou-se alta atividade antioxidante.
DOSAGEM
Estimulante das funções (estomacais, hepáticas, pancreáticas e do baço), diurética
Em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (chá) de raízes picadas, 1 colher (chá) de folhas picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara (chá) de manhã em jejum e outra antes do almoço.

Debilidade orgânica, estimulante das funções (estomacais, hepáticas, pancreáticas e do baço)
Coloque 2 colheres (sopa) de raízes e folhas picadas em 1 garrafa de vinho branco e coe. Deixe em maceração por 8 dias e coe. Tome 1 cálice antes das principais refeições.

Afecções das vias respiratórias (tosses e bronquites), febres
Coloque 1 colher (sopa) de folhas e caules picados em 1 xícara (café) de água em fervura. Desligue o fogo, espere amornar e coe. Adicione 2 xícaras (café) de açúcar cristal. Leve novamente ao fogo brando até dissolver completamente o açúcar. Tome 1 colher (sopa) de 2 a 3 vezes ao dia. Para crianças dar somente metade da dose.

Maturação de furúnculo, queimaduras superficiais, dores de cabeça, reumatismo
Lave muito bem, enxágüe e fatie 1 folha fresca. Coloque em um pilão e amasse bem. Espalhe em um pano e exponha ao vapor da água em fervura. Espere amornar e aplique, ainda morno, sobre o local afetado, na forma de cataplasma, 2 vezes ao dia.

Pleurisias, abscessos, furúnculos
Secam-se as sementes e reduzem-se a pó. Este pó , misturado com óleo de linhaça, dá bom resultado na pleurisia. Aplica-se em forma de cataplasma nas costas e região dos pulmões.

Queimaduras
Suco das folhas para aplicação tópica.


Cacau (Planta tropical americana):
O cacau e o chocolate são utilizados nas convalescenças como alimentos energéticos.
Produz ação diurética e vasodilatadora sobre os vasos coronários e renais, estimulante nervosa e cardiocinética pela cafeína.
Tônico e adoçante, o cacau estimula as funções do aparelho urinário e combate as nefrites, as bronquites e certas doenças do coração. É empregado nas fraquezas orgânicas e no esgotamento físico.
A popular manteiga de cacau, obtida pela moagem das sementes da planta, produz bons resultados quando empregadas nas asperezas da pele causadas pelo frio e nas rachaduras dos lábios e dos bicos dos seios.
USO CULINÁRIO
BOLO ASTECA
Massa
3 xícaras (chá) rasas de farinha de trigo
2 xícaras (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de chocolate em pó
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de bicarbonato
1/2 colher (chá) de sal
1 xícara (chá) de óleo
2 ovos
Misture os 6 primeiros ingredientes, junte o óleo, os ovos e, por último, 2 xícaras (chá) de água fervente, misturando bem. Despeje a massa em assadeira untada e asse em forno quente 200º.
Enquanto o bolo assa, prepare a calda:
6 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (sopa) de chocolate em pó
Raspas de laranja
1 colher (chá) de manteiga
Misture todos os ingredientes, juntamente com 1/2 xícara (chá) de água e leve ao fogo baixo, deixando ferver até obter uma calda grossa. Retire do fogo e espalhe ainda quente sobre o bolo, assim que retirá-lo do forno. Deixe esfriar, corte em quadrados e coloque em forminhas de papel. Querendo, decore os quadradinhos com pedaços de cereja.

TRUFA DOS DEUSES
250ml de creme de leite fresco
500g de chocolate ao leite em barra picado finamente
cacau em pó para passar as trufas
Leve ao fogo em banho-maria o creme de leite e o chocolate picado, mexendo com uma espátula até formar um creme liso.
Retire do fogo, despeje num refratário de fundo largo e leve à geladeira por cerca de 6 horas. Em seguida, com a ajuda de 1 colher de chá , pegue pequenas porções da trufa, enrole nas mãos formando bolinhas e passe pelo cacau em pó. Coloque-as em forminhas de papel e sirva-as a seguir.


Caju (Planta sul americana):

O suco puro e adoçado é um saudável tônico refrigerante diurético e excitante. Também previne contra gripes.
Do sumo ainda se obtém vinho, vinagre, aguardente e licor.
A castanha contém um óleo-resina cáustica, conhecido como LCC que causa forte irritação na pele, deixando cicatrizes quase indeléveis que jovens usam para fazer um tipo primitivo de tatuagem.
Quando as sementes são torradas perdem esta propriedade, sendo um alimento saboroso, excitante e usado nos regimes de emagrecimento, e como fortificante da memória.

O uso da casca do cajueiro ativa o metabolismo dos açúcares, principalmente das pessoas que têm o açúcar aumentado no sangue e na urina. Para hemorróidas, faz-se o chá com a casca, adicionando broto de goiaba, raspa de amor-crescido e cajá.
Para uso externo o uso do cozimento da entrecasca, em bochechos e gargarejos, como anti-séptico antiinflamatório nos casos de feridas e úlcera da boca e afecções da garganta, bem como para lavagem de feridas malignas.
O broto de caju é utilizado para combater dores no estômago e problemas digestivos e deve ser fervido com broto de goiaba, embora sua eficácia e segurança ainda não tenham sido comprovadas cientificamente.
O sumo das folhas novas é utilizado para combater aftas.
Sua raiz é purgativa.
DOSAGEM
Diabetes
Coloque 1 colher (chá) do pó da casca do caule do caju vermelho em 1 xícara (chá) de água em fervura. Desligue o fogo, espere esfriar e coe em uma peneira. Tome 1 xícara (chá) 2 vezes ao dia. Feridas, infecção da garganta
Coloque 1 colher (sopa) do pó da casca do caule em 1 copo de água em fervura. Desligue o fogo, deixe em repouso por 24 horas e coe em uma peneira. Use para fazer bochechos, gargarejos ou para lavar feridas infeccionadas.

Diarréias, disenterias
Coloque 3 colheres (sopa) de folhas novas e frescas, cortadas em pedaços bem pequenos em 1/2 litro de água em fervura. Deixe ferver por 10 minutos e coe. Tome 1 copo toda vez que for evacuar. No caso de crianças deve ser dada metade da dose.

Baixar o colesterol e triglicerídeos do sangue
Consumir em pequenas doses (5 a 6 amêndoas) diárias.

Suplemento nutritivo (regime de emagrecimento)
A semente torrada pode ser consumida 1 hora antes das principais refeições em pequenas quantidades.

Alimento nutritivo
Ingerir o pseudo-fruto ao natural, como sobremesa ou entre as refeições, e em sucos.

Frieiras, cansaço dos pés
Coloque 1 colher (chá) de casca do caule em 1 litro de água em fervura. Deixe ferver por 15 minutos e coe em uma peneira. Despeje em uma bacia e acrescente mais 2 litros de água quente. Mergulhe o local afetado (pés ou mãos), por 10 a 15 minutos. Repetir a aplicação até a melhora.

Diabetes, eczemas, reumatismos, avitaminose C
Comer os pseudofrutos ao natural, ou sob forma de suco, 1 copo de 3 a 5 vezes ao dia.
Feridas e úlceras
Chá por decocção das folhas, banhar os locais afetados 3 vezes ao dia.

Verrugas, calosidades
Uso externo sob a forma de óleo, aplicado diariamente.

USO CULINÁRIO
REFRESCO DE CAJU
Ingredientes
10 cajus
1 litro de água gelada
açúcar a gosto
Retirar as castanhas, furar bastante com um garfo e espremê-los. Colocar numa vasilha o caldo, a água gelada, e o açúcar. Mexer bem.

VINHO DE CAJU
Ingredientes
4 litros de caldo de caju
1 litro de aguardente
1/2 kg de açúcar refinado
Preparo: colocar 4 litros de caldo de caju tirado da fruta e colocar em maceração durante 9 dias em vasilha de louça. Passado os 9 dias, misturar o litro de aguardente e o açúcar. Após 3 dias, coar, colocar em garrafão e guardar durante 4 meses.
Só depois de 4 meses é que pode ser servido. Servir gelado.

PAVÊ CROCANTE
Crocante
1 xícara (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de manteiga
1/2 xícara (chá) de castanha de caju picada
1 pacote de biscoito tipo maisena picado grosso ( 200g)
Misture numa panela pequena o açúcar e a manteiga e leve ao fogo baixo mexendo lentamente até que o açúcar caramelize. Junte a castanha-de-caju picada, mexa mais um pouco e retire do fogo. Despeje a mistura em mármore untado com manteiga e deixe esfriar. Quebre o crocante depois de frio com um martelo de cozinha e junte-o ao biscoito triturado.
Creme
6 ovos (claras e gemas separadas)
4 colheres (sopa) açúcar
12 colheres (sopa) de chocolate em pó
4 colheres (sopa) de licor de cacau
1 1/2 (chá) de creme de leite fresco
Chocolate em pó para polvilhar
Bata as gemas juntamente com o açúcar até formar um creme esbranquiçado. Peneire sobre o creme 10 colheres (sopa) de chocolate em pó, junte o licor de cacau e misture bem. Bata o creme de leite fresco em ponto de chantilly e misture-o ao creme de chocolate. Por último, bata as claras em neve e incorpore-as delicadamente ao creme. Forre o fundo de uma forma refratária retangular média com a metade da mistura de crocante e biscoito. Despeje a metade do creme de chocolate, faça outra camada com o restante da mistura de crocante e biscoito e termine com nova camada de creme de chocolate. Leve à geladeira por 4 horas, ou até que o creme fique bem firme. No momento de servir, polvilhe com chocolate em pó.

MOLHO DE CASTANHAS DE CAJU AO CURRY
1 colher (sopa) de azeite de oliva
1 cebola pequena picada
1 dente de alho picado
2 colheres (chá) de curry em pó
150g de queijo cremoso de baixo teor de gordura
45g de castanhas-de-caju torradas
sal e pimenta moída na hora
Preparo: em uma panela, aqueça o azeite em fogo moderado, acrescente a cebola e o alho, tampe e cozinhe por 5 minutos. Adicione o curry em pó, mexa e cozinhe por mais 2 a 3 minutos. Retire do fogo. Bata o queijo, a mistura de cebola e as castanhas-de-caju no multiprocessador ou no liquidificador. Passe para uma tigela de servir.

SALADA DE ALFACE, ABACATE, CASTANHAS-DE-CAJU TORRADAS
1 pé de alface
1 dente de alho descascado e cortado ao meio
1 colher (sopa) de vinagre de vinho tinto
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
sal e pimenta moída na hora
1 abacate maduro
2 colheres (sopa) de suco de limão
2 colheres(sopa) de cebolinha fresca picada na hora
124 g de castanhas-de-caju torradas
Lave e seque as folhas. Esfregue as metades de alho na saladeira e descarte-as. Se quiser um sabor acentuado, amasse-o e coloque na saladeira. Ponha o azeite e uma boa porção de sal e pimenta-do-reino na saladeira. Misture levemente com um garfo. Corte o abacate ao meio, remova a casca e o caroço e corte a polpa em pedaços. Coloque em uma tigela, regue com o suco de limão e tempere com um pouco de sal e pimenta-do-reino. Rasgue as folhas de alface e espalhe-as por cima do molho na saladeira. Acrescente a cebolinha, o abacate e as castanhas. Mexa a salada para as folhas absorverem o molho e sirva imediatamente.


Cajuzinho (Planta do cerrado brasileiro):

O óleo do pericarpo da castanha é vesicante e usado como cautério para afecções da pele.
A infusão tanto de suas folhas como da casca do caule subterrâneo é indicada contra diarréia.
O suco dos cajuzinhos é anti-sifilítico.
A infusão das inflorescências é empregada contra tosse e também para abaixar a glicose nos diabéticos
DOSAGEM
Diarréias
Colocar 1 xícara (cafezinho) de folhas bem picadas ou cascas de caule subterrâneo em um litro de água fervente. Tomar três xícaras (chá) ao dia.

Tosse
Colocar em um litro de água fervente 1 colher (sopa) das inflorescências. Abafar, adoçar, tomar 3 xícaras (chá) ao dia.

Abaixar a glicose sanguínea
Ferver por 5-10 minutos, em um litro de água , 1 xícara (chá) de inflorescências. Tomar 3 xícaras (chá) ao dia.


Cálamo aromático (Planta européia e asiática):

Tem o tronco subterrâneo e raízes (tubérculos) chatas, finas,.
Com gosto amargo, o tronco é excitante e usado contra tosses, bronquites, catarros e problemas digestivos.

Calêndula:

Indicada no tratamento de ferimentos devido sua propriedades: Cicatrizante, anti-séptico, sudorífero, analgésico, colagogo, antiinflamatório, anti-viral, antiemético, vasodilatador, tonificante da pele.
DOSAGEM
Pomada e tintura (uso externo) - feitos com folhas e flores:
Usar sobre as partes afetadas 3 a 4 vezes por dia. A tintura, diluída com água destilada ou fervida, pode ser aplicada diretamente em ferimentos diversos, exercendo excelente ação cicatrizante, utiliza-se 1 a 2 partes de água para 1 de tintura.

Infusão
2 colheres de sopa de flores em 1/2 litro de água ou 2 colheres de sopa de flores em 1 xícara de chá de água (contra acne). No primeiro caso toma-se 1 xícara de chá antes de cada refeição principal, começando 8 dias antes da menstruação e no segundo caso toma-se 1/2 xícara de chá de manhã e 1/2 xícara à noite.

Cataplasma
Folhas e flores tenras, socadas e empastadas são aplicadas sobre ferimentos, sobre um pano limpo.


Camomila:

Indicada nos quadros de ansiedade e insônia, nas síndromes febris, dispepsia, flatulência, náuseas, vômito, inflamações bucais e do aparelho geniturinário.
Uso externo: dores de origem reumática e como clareadora dos cabelos.
Tem atividade reguladora das funções gastrointestinais e ação sedativa, antiinflamatória, antiespasmódica, analgésica, anti-séptica, antimicrobiana, anti-helmíntica (nas parasitoses intestinais) e cicatrizante.
DOSAGEM
Para dores estomacais, intestinais, insônias, perturbações da menopausa, menstruação dolorosa e excessiva:
Em 1 xícara de chá coloque 1 colher de chá de flores secas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá 3 vezes ao dia, podendo adicionar o suco da metade de um limão, por dose


Cana de açúcar (Planta asiática):

Retardador da fadiga e fonte poderosa de energia, mantém a tensão muscular.
Excita a secreção das glândulas salivares e a atividade do estômago,
Sua exagerada ingestão causa a constipação do ventre, as afecções das gengivas, a corrosão dos dentes, a ulceração da boca, assim como os embaraços gástricos e uma super-secreção do ácido úrico.
O suco do colmo da planta, duas vezes ao dia, é utilizado para aumentar a lactação e para tratar a insônia.
A infusão das folhas é usada como antidiurético.
A decocção das raízes é usada como diurético e contra hipotensão.
A decocção dos bulbos é usada contra distúrbios dos rins e para expulsão de parasitas intestinais.
Útil internamente contra resfriados e anginas e externamente, contra úlceras da córnea, rachas dos seios, aftas, envenenamento com arsênico, chumbo e cobre
O açúcar serve no combate à pneumonia, tuberculose, escarlatina, erisipela, cólera, febres, vômitos da gravidez.
USO CULINÁRIO
PÉ-DE-MOLEQUE PANTANEIRO
Ingredientes
2 rapaduras simples
3 xícaras (chá) de água
1 pedaço de gengibre, cravos
1 kg de amendoim sem casca
1 xícara de farinha de mandioca
Partir as rapaduras em pedaços e derreter na água quente. Levar ao fogo e deixar ferver até o ponto de bala. Juntar o amendoim torrado, reservando 1 xícara de amendoim inteiro. Colocar o gengibre e os cravos.
Quando estiver engrossando, retirar do fogo e bater até começar a açucarar. Despejar numa tábua polvilhada com farinha de mandioca, salpicar os amendoins descascados sobre a massa. Cortar em losangos ou quadradinhos e servir.

PUDIM NATURAL DE LEITE
8 copos de leite (médio)
8 ovos
1 xícara de açúcar
1 colher de baunilha
Bater tudo no liquidificador e despejar em forma própria para pudim, previamente preparada com calda caramelizada. Assar em banho-maria ou microondas até que o palito espetado no pudim saia limpo.
Essa receita é boa para quem quer reduzir a quantidade de açúcar, o que não se consegue com leite condensado. Você usa quanto quiser de açúcar e fica uma delícia. Se o leite for orgânico e os ovos caipiras, então a coisa fica bem boa mesmo.

BALAS DE BANANA
8 bananas nanicas (caturra) maduras amassadas
16 colheres (sopa) de açúcar
1 colher de manteiga
1 colher de chocolate em pó
Esta é uma receita de doce para as crianças, uma opção mais nutritiva que muitos doces convencionais. Leve tudo ao fogo baixo até dar o ponto, que é uma massa firme, porém macia. Despejar tudo em uma superfície untada com manteiga e por fim cortar os pedaços e passar no açúcar refinado.


BALAS DE GOMA
1,2 kg de batata doce
1 kg de açúcar
2 pacotes de gelatina com sabor
1 pacote de gelatina sem sabor
1 vidro de leite de coco
Leve ao fogo por 30 minutos ou até que fique no ponto, que é uma massa firme, porém macia. Despeje em forma untada e corte em pedacinhos, passando pelo açúcar refinado para dar o acabamento. Esta é mais uma opção de doce para as crianças, sendo muito mais nutritivo que os doces convencionais.


Cânfora (Planta do leste asiático):

Da madeira triturada dos troncos, extrai-se o produto com qualidades anti-sépticas, estimulantes, excitantes.
Ação anestésica local, em fricções, geralmente sob a forma de soluções alcoólicas. Suas ações também são parasiticidas.
Tem aplicações também nas hemorragias uterinas e como vermífugo.
Atua sobre o sistema nervoso central, produz ação benéfica sobre o centro respiratório bulbar, com o aumento da amplitude dos movimentos respiratórios sem acelerar o ritmo, mas a sua ação mais notável é sobre o coração, pois estimula o músculo cardíaco e reforça a sístole, regulariza as pulsações e a pressão sanguínea.
Como sedativo, recomenda-se nas doenças nervosas, hipocondria, histerismo, convulsões, epilepsia, melancolia, nevralgias, reumatismo.
A canforeira é extremamente decorativa, indicada para ornamentação de vias públicas e também para quebra-ventos.
DOSAGEM
Contusões, dores musculares e reumatismo
Vinagre aromático para fricções e massagens:
Macerar em uma garrafa, por 10 dias, 400g de vinagre puríssimo de vinho, 50g de álcool a 90º, 50g no total das seguintes ervas frescas: sumidades floridas de alfazema, folhas de laranjeira, folhas de alecrim, folhas de hortelã, folhas de sálvia.
Antes de colocá-los nos líquidos indicados, esmagá-las um pouco, a fim de facilitar a saída dos humores. Tapar bem a garrafa, conservando-a em local fresco. Após os dez dias prescritos, dissolver 4gr de cânfora em 10gr de ácido acético, colocando este líquido na garrafa com todos os outros ingredientes.
Filtrar o líquido após algumas horas e vertê-lo em uma garrafa com tampa esmerilhada. Este vinagre aromático é prodigioso para todas as dores causadas por traumas ou dores reumáticas.
Aguardente canforada:
Misturar 300gr de aguardente a 60º, ou de álcool na mesma graduação e 5gr. de cânfora triturada. Conservar o líquido em uma garrafa bem tapada e empregá-lo para friccionar os músculos doloridos.

Frieiras
Em uma garrafa de boca larga, colocar 200g de óleo de rícino desodorizado, aquecendo o recipiente em banho-maria. Enquanto a água se aquece (não deve nunca ferver), colocar na garrafa 10gr de essência de bergamota e 5 gr de cânfora. Deixar tudo em banho-maria por cerca de uma hora, depois afastar a panela do fogo. Quando o líquido estiver frio, tapar a garrafa herméticamente. Com esta loção fazer massagens três a quatro vezes ao dia sobre a região atingida pela frieira. Para prevenir é suficiente fazer uma única fricção ao dia.

Para flores e plantas
Quando uma planta sofreu a ação do vento ou a ausência de água, tomará rapidamente força e vigor se for regada com água canforada. A proporção é de uma colherinha de cânfora em pó em uma garrafa de água.

Traças
O odor é particularmente desagradável a estes insetos. Espalhar alguns cubinhos pelos armários e gavetas, as roupas estarão assim seguras.

Desinfetante para empregos caseiros (Vinagre dos quatros ladrões de Marselha)
20gr de sumidades floridas de alguma destas plantas: losna, alecrim, sálvia, hortelã, arruda ou flores de alfazema
30gr de cada um destes aromáticos: casca de canela, ácoro, noz-moscada, cravo e alho.
5gr de cânfora
1250gr de puríssimo vinagre de vinho branco.
Os ingredientes devem ser deixados em maceração no vinagre, por dez dias. Filtrar o líquido e conservá-lo em um vidro com tampa esmerilhada. Serve para limpar as feridas e desinfetar as mãos que tenham tocado qualquer coisa infectada.


Capuchinha (Planta peruana e mexicana):

Comestível com sabor picante e fresco, semelhante ao agrião, podendo suas folhas e flores serem consumidas em forma de saladas revitalizantes na primavera (em caso de avitaminoses).
O uso das folhas e flores abre o apetite e favorece a digestão, além de ter propriedades antiescorbúticas. Também se reputa ação depurativa.
Com propriedades anti-sépticas e tônicas do sangue e dos órgãos digestivos, a capuchinha pode ser utilizada nas depressões nervosas e estafas.
Pode também se utilizada na limpeza de pele e dos olhos, e seus frutos quando secos e reduzidos a pó constituem um bom purgante.

Produz ótimos resultados no tratamento de escrofuloses, eczemas, psoríases e outras afecções cutâneas, além de desinfetar e cicatrizar feridas.
A semente é um antibiótico vegetal, ativo contra os microorganismos dos gêneros estafilococo, proteus, estreptococo e salmonela. Também, são usadas pelo seu efeito desinfetante em caso de infecções agudas das vias urinárias ou dos brônquios, geralmente sob a forma de comprimidos.
O teor significativo da vitamina C e a presença do óleo de mostarda fazem aumentar naturalmente as defesas do organismo.
O suco fresco das plantas tem os mesmos efeitos: a dose é de 30 a 50g ao dia. Seu suco tem notável efeito quando bebido com leite para casos de enfizema pulmonar. Tem também a reputação de promover produção de células vermelhas na medula óssea.
As flores e folhas também possuem este antibiótico natural que não interfere na flora intestinal, sendo efetiva mesmo contra os microorganismos que já adquiriram resistência a antibióticos comuns.
DOSAGEM
Afecções pulmonares, expectorante
Em um pilão, coloque 2 colheres (sopa) de folhas frescas. Amasse bem e em seguida adicione 1 xícara (chá) de leite quente. Coe em uma peneira. Tome 1 xícara (chá), 2 vezes ao dia, podendo ser adoçado com mel.

Diurético, desinfetante das vias urinárias
Em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (sopa) de folhas frescas ou secas picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara (chá), 2 vezes ao dia. Recomenda-se não tomar este infuso após as 17:00h.

Alimento nutritivo
Em um recipiente, coloque 1 punhado de folhas e flores frescas picadas, 1 cebola média picada, 1 maçã picada e 1 xícara (chá) de trigo para quibe já preparado. Tempere com sal e limão. Deve ser consumida antes das principais refeições.

Fortalecer o couro cabeludo, cabelos fortes e brilhantes, crescimento de cabelos, prevenção da queda de cabelos
Em um pilão coloque 2 colheres (sopa) de folhas frescas de capuchinha e 2 colheres (sopa) de folhas frescas de bardana. Amasse bem e acrescente 1 xícara (chá) de álcool de cereais a 80%. Deixe em maceração por 5 dias. Coe em um pano, espremendo bem. Aplique a loção no couro cabeludo, fazendo uma ligeira fricção. Espere 5 minutos e enxágüe com água morna. Repita 1 vez por semana.


Cardo - santo (Planta mediterrânea):

Largamente recomendada contra peste, a planta inteira é empregada, porém sempre seca e no início da floração.
É empregada internamente contra anorexia (falta de apetite) associada a depressão.
Doses excessivas podem causar queimaduras na boca e no esôfago, vômitos e diarréias.
Externamente é indicada contra úlceras e feridas.
Pode-se validá-la como contraceptivo.


Carqueja:

Planta amarga indicada na gripe com muito proveito e nas doenças do figado, estômago e intestinos.
Nas diversas dispepsias que trazem má digestão e debilidade e no mau funcionamento do intestino, ora como diarréia, ora como prisão de ventre, a Carqueja produz sempre bom resultado.
Na diabete ou glicosúria faz diminuir o açúcar até sua completa eliminação, ficando o organismo apto para uma perfeita nutrição.
Em formas de chás, nos casos de anemia, cálculos biliares, diarréias, enfermidades do baço, da bexiga e do fígado.

Cáscara sagrada (Planta da América ocidental):

Devido seu efeito purgativo, indicado para obstipação ocasional, disquinésia hepatobiliar. Como purgativo para limpeza intestinal antecedendo exames radiológicos ou intervenções cirúrgicas.
Usar só a casca envelhecida (pelo menos um ano) ou após aquecimento a 100ºC. Quando é recente pode provocar vômitos e espasmos gastrintestinais devido à existência de compostos sob a forma reduzida.
O uso prolongado de derivados antraquinonicaso, além de poderem conduzir a depleção de minerais, nomeadamente a hipocaliemia, pode originar um cólon atônico, sem as haustrações normais, dilatado, por destruição dos seus plexos intramurais.
Para o tratamento da obstipação crônica ou habitual, recomenda-se recorrer aos laxantes que aumentam o volume do bolo fecal e a uma dieta rica em fibras.
DOSAGEM
Cozimento: 1 colher de café ou de sobremesa por chávena.
Tintura (1:5): 40-60 gotas.
Pó: cápsulas de 250 mg. Em caso de necessidade pode repetir-se até 3 vezes por dia.
Extrato seco (5:1): 50-100 mg por cápsula.
CONTRA INDICAÇÃO
Obstipação crônica; os laxantes catárticos, quando se usam sistematicamente, dão habituação.
Obstrução intestinal. Gravidez, amamentação (os lactantes podem ter diarréias), crianças menores de doze anos.
Estados inflamatórios intestinais agudos (doença de Crohn, colite ulcerosa), dor abdominal de origem desconhecida. Menstruação.

Castanha da Índia (Planta européia):

Algumas substâncias encontradas nas sementes, cascas e folhas são responsáveis pelas propriedades anti-exudativas, venotónicas e aumento da resistência capilar.
Também é antiinflamatória e diminui a permeabilidade e a fragilidade capilar.
As suas propriedades anti-exudativas contribuem para a reabsorção dos edemas.
As folhas e cascas têm efeito adstringente e funcionam como protetor solar.
O extrato mostra elevada atividade anti-radicais.
Os extractos glicólicos de folhas ou de sementes são uteis para tonificar e melhorar a elasticidade do tecido cutâneo e, ainda, para inibir a progressão de rugas, estrias e olheiras ao estimularem a circulação local. São empregues em peles sensíveis e exercem um efeito estimulante sobre as peles envelhecidas, especialmente, pela atividade venotónica.

Usados, também, na acne-rosácea, e no tratamento das varizes das pernas.
DOSAGEM
Banhos cosméticos
Juntar 1 litro de cozimento de folhas a 20% em 10 litros de água tépida: para tonificar a pele e aumentar a sua elasticidade.

Uso interno
Cozimento:
30 a 50 g de casca/litro, 250-500 ml por dia.

Infusão (folhas):
30 g/l, 2 a 3 chávenas por dia.

Tintura (1:10):
50-100 gotas, 1 a 2 vezes por dia.

Extrato seco (5:1):
200 a 600 mg por dia (deve estar ajustado entre 16 a 20% de escina anidra).

Supositórios
Com 20-30 mg de extrato seco.

Uso externo
Cozimento de casca, a 5%.
Pomadas, creme ou gele a 20% de extracto fluido.
CONTRA-INDICAÇÃO
Gravidez, aleitação, crianças com idade inferior a dez anos. Tratamentos com anticoagulantes.

Catinga de Mulata:

A planta dá um tônico aromático, amargo e aromatizante natural.
Também é anti-helmíntica, carminativa, anti-espasmódica, colerética e estimulante de vísceras abdominais, inclusive útero.
Diminui lipídeos séricos, ajuda abaixar o quantum de açúcar sérico e tem atividade antic-ancerígena.
Intoxicações podem acontecer pela presença de tuiona.
Grávidas e amamentando não a devem usar.
DOSAGEM
Para regular o ciclo menstrual e tonificar o útero deve-se tomar infusão de 20g das flores em meio litro de água, duas xícaras por dia.

Cavalinha (Planta européia):
Por seu alto conteúdo mineral, principalmente o silício, a cavalinha é muito usada para recompor o tecido conjuntivo, por aumentar a atividade dos fibroblastos e a elasticidade dos tecidos, o que a torna útil na osteoporose e reumatismos.
Por ter potássio, equisetonina e ácido gálico, é um bom diurético e anti-hipertensivo, além de ajudar nos tratamentos para emagrecer.
Por ter ácidos, aconítico e cítrico, favorece o metabolismo do cálcio na coagulação sangüínea, contracenando estes ácidos com a silícea e os flavonóides.
É usado para polir prata e estanho.
Também se coloca sobre páginas de livros velhos para protegê-los de deterioração.
Na agricultura biológica a cavalinha macerada, em pó ou decocção, é usada para controle de pragas.
DOSAGEM
A decocção de seus talos (50 g/l) é usada como mineralizante, diurético, antiinfeccioso, urinário e antiprostático, com quatro xícaras ao dia (50 g têm aproximadamente 30 mg de silício, mais ou menos o que se usa em prescrição médica).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário